terça-feira, 13 de setembro de 2011




Eu não preciso de alguém que esteja disponível 24 horas por dia, mas que, quando necessário, largue seus amigos para vir cuidar de mim. Não preciso de planos postos em uma folha de papel, nem promessas que seriam retiradas pela manhã. Mas se quiseres me escrever para me contar sobre a sua vida e os seus sonhos, eu não me importaria. Não necessito de declarações exageradas,mas sim de um eu te amo e um lindo sorriso . Pode só pegar na minha mão quando eu sentir medo, pode só me proteger e ignorar meus defeitos. Não precisa me achar a mais bonita do mundo, desde que você não queira estar com mais ninguém, além de mim. Eu não preciso do seu dinheiro, do teu crachá de chefe ou das tuas roupas de marca. Pode aparecer com o teu moletom , sua calça jeans  o teu sorriso, isso já me basta. Pode me levar pra comer um cachorro quente na praça, e assistir um filme juntinho na sala da tua mãe. Eu não preciso de um príncipe encantado, de um conto de fadas ou de riquezas materiais. Mas talvez eu precise do teu abraço apertado, das tuas mãos na minha cintura, da tua sinceridade na hora de me dizer o que fazer. Talvez eu precise da tua voz me fazendo ninar, dos teus dedos secando minhas lágrimas e tua boca cessando meus gritos. Eu não preciso das coisas que você possui, desde que eu possua você. 
Ana F

Um comentário:

  1. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog Flores no Jardim. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir